Breve histórico dos Jogos de Tabuleiros

 

 

        A origem dos chamados "jogos de tabuleiro" perde-se na noite dos tempos. Expedições arqueológicas estão, ainda hoje, desvendando mistérios a respeito de antigos jogos disputados por egípcios, gregos, romanos e até por povos mais antigos.

        Os "deuses-oráculos" manifestavam-se através de "adivinhos" ou "xamãs". E estes últimos, em muitas religiões formalizadas, tinham por símbolo uma "grade quadriculada" que, obviamente nos remete aos atuais tabuleiros de jogos, com suas "casas".

        Outra interpretação, feita pelo mesmo Nigel Pennick na obra citada, afirma que mesmo o desenho de algumas cidades medievais, surgidas em torno das "feiras", representariam tabuleiros, citando como exemplo a cidade de Cambridgeshire na Inglaterra (que se chamava, antigamente, Huntingdonshire), que teria sua planta quadriculada derivada da feira de St. Audrey, ainda realizada na semana do dia 17 de outubro, festa de Santa Etheldreda.

        Existem provas de que alguns jogos de tabuleiro derivam de plantas de templos, claustros sagrados e cidades santas, como é o caso da capital real de Chou (China antiga) que teria o formado de um tabuleiro com 64 quadrados.

        De qualquer forma, o "quadrado" é o símbolo da terra na iconografia cristã. As auras de pessoas vivas eram retratadas, pelos primeiros cristãos, como "quadrados".

        É um símbolo estático, contrapondo-se ao "circulo", símbolo do movimento por excelência. Parece-me bem lógico, portanto, que os TABULEIRO de jogos seja, habitualmente quadrados: eles não se mexem e é sobre eles que se desenvolve o jogo, geralmente através de peças CIRCULARES, estas sim, móveis.

        A simbologia do quadrado é ampla, envolvendo os pontos cardeais, a limitação (ao contrário do círculo que simboliza o infinito).

        A importância dos jogos é tanta, que um dos tesouros de Éirinn (a Irlanda primitiva) era um tabuleiro de um jogo chamado de "Brandubh". No País de Gales, o tabuleiro de "Tawlbwrdd" era símbolo dos juizados.

        Nos jogos de tabuleiro, sempre se busca a dominação, ou através da conquista de peças ou de territórios. No xadrez e no jogo de damas, conquistam-se peças do adversário; no Go, conquista-se território; no gamão, busca-se a retirada das peças do tabuleiro, para tanto se percorre território e elimina-se (momentaneamente, é verdade...) as peças do adversário.

        Em todos eles, porém, o que se busca e a aniquilação do adversário; é demonstrar que se é melhor que o oponente; que se é mais rápido, ou mais esperto, ou mais inteligente...

        Esta é a finalidade essencial, primordial e final do jogo: descobrir-se quem é melhor.

        Mas obviamente, essa descoberta é relativa, pois, encerrada uma partida, outra terá início e aquele que perdeu pode vir a ser o vencedor...

 

Fonte: http://www.jogos.antigos.nom.br/jtabuleiro.asp

História do Site

    A ideia de montar um site que promova a prática dos Jogos de Tabuleiros Tradicionais surgiu de duas problematicas que fazem parte do cotidiano da escola, mais especificamente na discipina de Educação Física. 

    A primeira, diz respeito aos Jogos de Tabuleiros Tradicionais, que apesar de serem contemplados na disciplina, geralmente (é o que pude constatar) os alunos não conhecem muito sobre regras e estratégias, as quais, podem desenvolver as competências de cognição e afetivo-sociais. 

    O segundo, esta relacionado a utilização da tecnologia da informação, que no século XXI tornou-se uma ferramenta indispensável para o processo ensino-aprendizagem.